Guia rápido: conheça os tipos de aparelhos auditivos e suas indicações

Guia rápido: conheça os tipos de aparelhos auditivos e suas indicações

Os aparelhos auditivos são as principais ferramentas no tratamento da perda de audição, seja qual for a causa e a idade do paciente. Eles são pequenos dispositivos eletrônicos que têm a capacidade de auxiliar as pessoas a voltarem a ouvir, pelo menos em parte, e retomarem a sua qualidade de vida.

A tecnologia da saúde auditiva tem avançado, e os aparelhos auditivos se desenvolvido. Novos modelos surgem e são reinventados, mais fáceis de serem manuseados e com melhor adaptação. O tipo de aparelho é escolhido de acordo com o grau de perda auditiva e a aceitação de cada pessoa.

Veja, neste post, quais são os tipos de aparelhos auditivos, as suas funcionalidades e as suas indicações:

Os aparelhos auditivos

A principal função do aparelho auditivo é a de amplificar as ondas sonoras, de modo que elas possam ser escutadas pela pessoa com alguma perda de audição. Todos os tipos de aparelho têm os principais elementos com funções semelhantes:

  • microfone: capta as vibrações sonoras (sons) e as transforma em sinais elétricos;

  • computador: manipula os sinais eletrônicos e os adapta de acordo com a perda auditiva da pessoa (programação prévia);

  • amplificador: aumenta a intensidade dos sinais do microfone;

  • receptor: converte os sinais elétricos do amplificador em sinais auditivos acústicos, para que possam ser escutados pela pessoa.

A adaptação de cada tipo de aparelho auditivo é feita de acordo com a necessidade do paciente, e não apenas com a estética e as funcionalidades do aparelho. É recomendado que o paciente realize uma experiência prévia com o aparelho antes de comprá-lo.

Os principais modelos de aparelhos auditivos

Microcanal (CIC)

O microcanal é um pequeno aparelho auditivo formado por uma única peça, que se encaixa no canal auditivo e fica com uma pequena parte à mostra.

É o menor modelo de aparelho auditivo de peça única. Costuma ter uma boa adaptação dentro da orelha, pois a cápsula pode ser moldada para cada paciente.

Ele é indicado nos casos de perda auditiva leve a moderada. Uma das suas principais vantagens é a discrição, que agrada às pessoas que não desejam que o aparelho fique visível.

Algumas vezes, ele pode não ser indicado devido à anatomia da orelha (por exemplo: em pessoas com canal auditivo muito estreito) ou com infecções de ouvido recorrentes.

Intracanal (ITC)

O aparelho auditivo intracanal também é posicionado no canal auditivo. 

É formado por uma única peça: uma cápsula que pode ser moldada e customizada.

É indicado para pessoas com perda auditiva de grau leve e moderado. É ideal para aqueles que precisam de uma maior amplificação e que desejam ter um maior controle de sua audição, pois possui função de programação e controle do volume.

O modelo é um pouco maior que o microcanal.

Intra-auricular (ITE)

O aparelho auditivo intra-auricular é um modelo um pouco maior, que é confeccionado sob medida para ser encaixado dentro da porção externa da orelha, formado por uma cápsula única.

Entre os modelos do tipo “intra”, é o que possui maior potência de amplificação dos sons. Por isso, pode ser indicado para pessoas com perda auditiva severa, além de ser adaptado para perdas leves e moderadas.

O modelo pode incluir botão de volume e programação. Uma das suas vantagens é a facilidade de ser encaixado na orelha. Por isso, é indicado para pessoas com habilidades manuais prejudicadas.

Esteticamente, são maiores e mais visíveis dos que os modelos citados anteriormente.

Retroauricular (BTE)

Os aparelhos retroauriculares são considerados os dispositivos auditivos mais potentes. Eles são indicados para todos os graus de perda de audição, do leve ao profundo.

O modelo é formado por 2 partes:

  • uma caixa em material plástico que contém os elementos eletrônicos e fica posicionada atrás da orelha;

  • e um molde auricular ou sonda que fica posicionado dentro do canal auditivo.

Os 2 são ligados por um tubo transparente, em plástico ou em silicone, que transmite o som amplificado.

As suas vantagens são:

  • fica “escondido” atrás da orelha;

  • não dão a sensação de “ouvido tampado”;

  • maiores possibilidades de programação;

  • mais resistentes e de fácil manuseio. 

Receptor no canal (RIC)

O aparelho auditivo com receptor no canal é considerado a evolução do modelo retroauricular. É um aparelho de tamanho reduzido — que também fica localizado atrás da orelha — e ligado ao canal auditivo por um fio fino e transparente — que possui um receptor na sua ponta.

O modelo pode medir até menos de 1 centímetro, pois o receptor não fica mais dentro do aparelho. É indicado para perdas auditivas leves a severas.

A sua fabricação não é customizada para cada paciente, mas é feita com diferentes tamanhos de receptores, que se adaptam aos diversos tamanhos de orelhas e necessidades de amplificação.

Costuma ser bem-aceito entre os usuários, pois possui alta potência e é mais discreto do que os outros modelos.

As funcionalidades dos aparelhos auditivos

Citamos os principais tipos de aparelhos auditivos. Além das funções básicas, os aparelhos auditivos mais modernos podem apresentar diferentes funcionalidades, que facilitam o seu uso e trazem vários benefícios para seus usuários. Eles incluem:

  • sensor de movimento, que garante que os sons sejam escutados com clareza mesmo quando a pessoa está se movimentando;

  • tecnologia wireless, que mantém os aparelhos do lado esquerdo e direito funcionando em harmonia;

  • transmissão de música diretamente para o aparelho;

  • ligações telefônicas escutadas pelo aparelho;

  • transmissão dos sons da TV diretamente para o aparelho;

  • microfones direcionais que ajudam a pessoa a focar na conversação no ruído;

  • opção de controle por aplicativo no smartphone;

  • gerador de sons que alivia os sintomas do zumbido;

  • proteção contra os efeitos da umidade e da oxidação.

Os diferentes tipos de aparelhos auditivos possuem funções e indicações específicas, que devem ser levadas em consideração na hora da escolha. O paciente deve optar pelo modelo com o qual ele se sinta mais confortável, tenha mais adaptação e possa auxiliar o seu problema auditivo.

Você gostou deste post sobre aparelhos auditivos? Já utilizou alguns desses tipos de aparelho? Então deixe um comentário no post e compartilhe a sua experiência com a gente e com os demais leitores!

 

Compartilhar este Artigo